Páginas

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Cerveja Corona Extra


Cerveja com limão. Para os adoradores do líquido sagrado soa como uma heresia, mas para jovens do mundo inteiro isto significa CORONA. A cerveja, oriunda da terra da tequila, transformou-se em uma das mais consumidas do mundo, tornando-se a marca mais valiosa do México.





A história

A marca CORONA foi introduzida no mercado mexicano no ano de 1925 pela Cervecería Modelo, localizada na Cidade do México, como uma cerveja tipo Pilsner. No ano seguinte a cerveja começou a ser envasada em garrafa transparente (250 ml), atendendo a preferência popular, ao contrário de muitas outras da época, que eram engarrafadas em vasilhames de cor escura. Durante anos a marca ganhou grande popularidade no mercado nacional mexicano com ações de marketing agressivas para época, como por exemplo, anúncios em néon, patrocínios de festas e eventos; e distribuição de abridores e calendários para fixar a marca na cabeça do consumidor. Uma década após seu lançamento a CORONA já era considerada a melhor cerveja do país e a mais vendida. No verão de 1940, a marca foi relançada no mercado como CORONA EXTRA, tendo como novidade o rótulo impresso diretamente no vidro da garrafa.

Três anos mais tarde, os caminhões de entrega carregavam cartazes com o slogan “The finest Beer”. Na década de 50, além de iniciar o patrocínio de equipes de futebol, a marca tentou ingressar no mercado americano. Porém, encontrou um enorme problema: o nome CORONA estava registrado por uma cervejaria de Porto Rico desde 1957. Depois de uma batalha jurídica demorada, em 1979 a empresa finalmente conseguiu o direito de utilizar a marca nos estados do Arizona, Califórnia, Novo México e Texas, que tinham grande população de imigrantes mexicanos. Foi vendida pela primeira vez na cidade de Austin no Texas em 1981. Em meados da década de 80, ocorreu a grande explosão de consumo da marca em território americano, que carregava o slogan “Change your whole lattitude”, principalmente com o lançamento da CORONA LIGHT, em 1989, uma cerveja com 30% menos calorias que a versão original, mas com o mesmo sabor refrescante, especialmente produzida e desenvolvida para o mercado americano.

Ainda nesta década, a cerveja foi introduzida no mercado canadense (em 1985), Europeu (em 1989), sul-americano, caribenho e em alguns países da África. No ano de 1997, CORONA alcançou o posto de cerveja estrangeira mais consumida no enorme mercado americano, ultrapassando a holandesa Heineken; e Corona Light a segunda mais consumida em sua categoria, ultrapassando 450 marcas rivais. Em 2001 a marca passou a ser a quinta cerveja mais consumida do mundo. Em 2009, mais uma novidade: a cerveja CORONA LIGHT estreia no mercado americano em lata.

A principal marca de cerveja mexicana investe pesado em marketing, patrocinando a Associação Profissional de Golf Feminino (LPGA), as corridas de Nascar no México, além de promover o Corona Music Fest. Hoje em dia, a cerveja pode ser encontrada em várias embalagens, sendo as mais comuns: garrafa de 250 ml (conhecida como CORONITA), garrafa de 330 ml (a mais comum), garrafa de 940 ml (conhecida como BALLENA ou FAMILIAR e introduzida no mercado pela primeira vez em 1964) e a lata, esta mais comum no mercado mexicano.


O casamento da cerveja com o limão
É comum na Europa, Canadá e Estados Unidos servir CORONA com um pedaço de limão no gargalo. No mercado mexicano é menos comum, a não ser nas áreas de grande concentração turística. A razão para a utilização do limão pode ser explicada devido a cor da garrafa (transparente) que ao ser exposta a luz faz com que a cerveja fique com um sabor “meio estranho”, utilizando assim o limão para mascarar o gosto ruim da cerveja. Este enorme problema acabou tornando-se um dos fatores de maior sucesso da marca, extremamente consumida e associada ao clima tropical, paisagens paradisíacas, praias, férias e festas badaladas.

A evolução visual
A identidade visual original da marca passou por algumas alterações ao longo dos tempos. A principal mudança foi o acréscimo de uma coroa como símbolo no logotipo. Segundo relatos, essa coroa teria sido inspirada na tradicional coroa que adorna a Catedral de Nossa Senhora de Guadalupe, localizada na cidade de Puerto Vallarta.

A marca no mundo
A marca CORONA é a cerveja mais vendida no México e a quinta mais consumida do mundo (mais de 31 milhões de hectolitros/ano), sendo comercializada em 160 países ao redor do planeta. A marca CORONA possui aproximadamente 12% do mercado americano de cervejas importadas, sendo líder em sua categoria em aproximadamente 20 países.

Você sabia?
 Na Espanha a cerveja é vendida sob a marca CORONITA, pois a palavra Corona é marca registrada da família Real Espanhola.
 Geralmente as garrafas de CORONA são rejeitadas pela indústria da reciclagem por um simples motivo: o rótulo é impresso diretamente no vidro.

As fontes: as informações foram retiradas e compiladas do site oficial da empresa (em várias línguas), revistas (Fortune, Forbes, Newsweek, BusinessWeek e Time), sites especializados em Marketing e Branding (BrandChannel e Interbrand), Wikipedia (informações devidamente checadas) e sites financeiros (Google Finance, Yahoo Finance e Hoovers).





Compartilhe : :

Patrocinio